Fóruns Irmãos
0 de 5
Créditos
» Skin obtida de Captain Knows Best criado por Neeve, graças às contribuições e tutoriais de Hardrock, Glintz e Asistencia Foroactivo.
» Com gráficos e modificações por Hades e Zeus.
Elite
0 de 9
Comum
0 de 33
Últimos assuntos
» Pra mim você é
Ontem à(s) 22:53 por Shawn Rutgers Delvaux

» Templates, Sign e whatever
Ontem à(s) 21:52 por Violett Ashford

» [RP] Alicia Watts Schratter
Qua 20 Set 2017 - 22:50 por Alicia Watts Schratter

» Bar e Salão de Festas
Qua 20 Set 2017 - 17:32 por Alicia Watts Schratter

» Flood 4.0
Ter 19 Set 2017 - 23:17 por Amélia E. Blanchard

» [RP] Poseidon
Ter 19 Set 2017 - 23:06 por Poseidon

» Reclamação Divina
Ter 19 Set 2017 - 20:51 por Poseidon

» [RP] Hylla K. Werstonem
Ter 19 Set 2017 - 8:00 por Hylla K. Werstonem

» [RP] Ephrain L. Black
Seg 18 Set 2017 - 22:23 por Ephrain L. Black

» Pego - Namoro - Passo - Caso - Morre Diablo!
Seg 18 Set 2017 - 21:13 por Hylla K. Werstonem


Treinamento de luta de Leone O. Cresswell

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Treinamento de luta de Leone O. Cresswell

Mensagem por Alabaster Torrington em Dom 11 Maio 2014 - 21:06

Área reservada para treinamentos de Leone O'Sullivan Cresswell


Why does it rain, rain, rain down on utopia?

avatar
Filhos de Éolo
$D :
57420

Idade :
19

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Primeiro Treinamento

Mensagem por Alabaster Torrington em Dom 11 Maio 2014 - 21:58

   Depois da fogueira, fui ao meu chalé, sem nenhuma expressão no rosto. Assim que me deitei, me ocorreu um único pensamento antes de me render ao sono “Amanhã será um novo e ótimo dia”. Bom pode-se dizer que eu estava certo, pois quando acordei havia dois pacotes enrolados com um fino papel de seda com desenhos de sopros e frentes. “Papai?” pensei “Foi você?”. Desembrulhei tão animado que nem percebi que rasguei a maior parte do papel.
    No primeiro pacote havia uma espada de bronze celestial junto com um papel com a seguinte descrição “Espada Aeolica - Uma espada com 17 cm de cabo e 50 cm de lâmina, quando seu portador quiser pode conjurar um vento forte o suficiente para joga o adversário para longe”. No segundo pacote havia um bastão de madeira com mais um papel com outra descrição “Wind Avatar - Um bastão que ajuda a melhorar o controle sobre o ar, além de poder vira um planador”, assim que li a descrição do segundo me lembrei dos meus afazeres antes de ir para o acampamento, ver TV, fazer o dever de casa, ajudar minha mãe, emprestar dinheiro ao meu estúpido padrasto e seu estúpido jogo de Pôquer.
   Joguei o embrulho de papel fora e corri para a floresta com bastão/planador e espada em punho. Logo encontrei um monstro. “Um cão infernal” pensei “A descrição de Quíron não mente”. Ele era negro como a noite e havia pelo menos 3 metros de altura.
-Legal, um cachorro do tamanho de um tanque de guerra. – disse – Se o exercito de Cronos tiver um desses eles nem vão precisar de armas.
  Corri em direção a ele gritando. Assim que ele me viu latiu bem alto, que acho que Long Island inteira pode ouvir. Antes que ele que ele pudesse chamar mais atenção, abri meu planador e voei em direção a suas costas. Logicamente ele percebeu minhas atenções e tentou me morder. Por pouco consegui me esquivar e cair perto de sua pata traseira esquerda, onde bati o punho da espada. Fiquei surpreso com o resultado. O cão infernal foi jogado longe como se estivesse sendo empurrado por uma forte rajada de vento. Então me lembrei da descrição da espada “Quando seu portador quiser pode conjurar um vento forte o suficiente para joga o adversário para longe”. Aproveitei-me de sua distração e investi em sua direção planando com a espada em punho. Pode se dizer que foi meu ato mais estúpido nessa luta, pois por pouco não fui trucidado por uma fileira de dentes que poderia dar medo a um tubarão. Joguei-me para baixo com uma estocada de olhos fechados, certo de que ele iria desviar e me matar. Mas, de repente, senti um empurrão para frente e então quando abri os olhos percebi que estava numa montanha de poeira de monstro.
-Consegui matei meu primeiro monstro!-Gritei.
  E então voltei para meu chalé certo de que meu pai havia me ajudado. ”Obrigado, pai” agradeci mentalmente.


Why does it rain, rain, rain down on utopia?

avatar
Filhos de Éolo
$D :
57420

Idade :
19

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treinamento de luta de Leone O. Cresswell

Mensagem por Dionísio em Dom 11 Maio 2014 - 22:10

Avaliado
Seu teste foi muito fraco, além de ter erros. Quando se faz um treino é importante por em Spoiler ou Code, ou até no final da página, um espaço para as armas utilizadas e os poderes usados. Não tenho como adivinhar como é o poder ou como utiliza-lo. E é dificil a todo instante tendo que ir ao tópico para procura-lo, sendo que não sei nem  o nome do mesmo. Fique atento quando a isso.

Poste na área que já criou pra você da próxima vez.

+20 EXP.

Atualizado por: Hera
(Favor juntar o tópico com o existente do membro, grato.)



Fuck me now
avatar
Deuses
$D :
65220

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treinamento de luta de Leone O. Cresswell

Mensagem por Alabaster Torrington em Dom 16 Nov 2014 - 4:48

...e o vento
let's train!
— Aqui estamos, pirralho. O chalé dezessete, ou de Éolo, como quiser. — disse, observando o local de dois andares. — É aqui que você vai passar a maior parte do dia, a não ser no horário de almoço e jantar...

— Por que ainda está aqui, senhor? — interrompera Leone, lembrando-se do que havia ouvido há três dias atrás. — Não é mais seu dever se responsabilizar por mim. Pelo que eu saiba, me trouxe em segurança ao Acampamento, já é o bastante.

— Acha que gosto de ficar de olho em você sempre que posso? Tenho coisas mais importantes... mas, ao contrário do que pensa, é meu dever sim. Apenas cale a boca e aceite!

Sem titubear, o mestiço 'obedeceu' o campista. Poderiam passar o dia todo discutindo sobre aquilo, contudo ele sabia que seria uma total perda de tempo e de lábia. Também não tinha do que reclamar, nos dois últimos dias, Fellp o ajudara bastante a respeito do Acampamento e seus assuntos, mesmo contrariado. O novato memorizara tudo o que o outro dissera. Os deuses não haviam perdido todo seus territórios no mundo, apenas haviam diminuído-os. Como resultado, foram obrigados a passar suas moradas no país de maior potência mundial, Estados Unidos, já que lá suas influências seriam maiores. No entanto, nada mudara, eles prosseguiram com suas rotinas. Zeus comandando os céus e os deuses, Ares causando destruição e caos com suas guerras por toda parte, Deméter atuava nas plantações etc. O relacionamento com humanos também prosseguiam, vários semideuses apareciam em uma semana ou, até mesmo, em um dia. O Acampamento Meio-Sangue era o lugar mais seguro da Terra para esses tais semideuses, visto que, junto com os deuses, monstros e outros perigos mudaram-se também. Bem, ele sabia do básico do básico, era de seu conhecimento que o mundo mitológico era mais do que deuses e um Acampamento qualquer. Enfim...

O semideus terminava sua explicação, ainda irritado com a última fala de Leone. Ao final da mesma, Fellp deixara o garoto sozinho, para conhecer seu novo chalé. Não seria muito diferente para Meliteu, um garoto ruivo ao canto, visto que só havia ficado poucos dias no chalé de Hermes como um indefinido e também não havia se acostumado. Bem, aquilo deveria acontecer uma hora ou outra, soube que os deuses praticamente eram obrigados a reclamar seus mestiços -- de preferência, antes ou aos treze anos. O que não era o caso do novato, que já tinha seus...

— Ei, garoto! Você é novato? — uma voz feminina perguntara.

A possuidora de tal voz era loira e um tanto alta -- ora, todos pareciam serem maiores que ele, esse era o problema --, sua postura era ereta e sua expressão era séria. O que a diferenciava de outras garotas que passavam ali eram os tênis que usavam. Haviam asas no mesmo e ela flutuava no ar com toda tranquilidade do mundo. Já tinha visto ela antes, parecia ser alguma coordenadora do chalé de Hermes, algo do tipo. Lembrou-se que Fellp mencionara os monitores existentes no Acampamento. Não haviam muitos, visto que a maioria dos campistas não possuíam experiência o bastante para assumir tal cargo. O semideus havia mencionado três semideuses: Isabelle, filha e representante de Ares, do chalé cinco; Crestina, ex-líder do tal grupo seguidor de Dionísio, também filha de Ares. Por último, Gauth, filha e representante de Hermes, do chalé onze. Obviamente, a prole de Éolo estava diante da semideusa de Hermes. O rapaz de baixa estatura respondera a pergunta de Gauth com apenas um gesto com a cabeça. Sem dizer mais nada, a meio-sangue agarrara no braço do mestiço e o puxara assim que descera no chão. Leone não sabia para onde ela o estava levando, mas também não iria contrariar as ordens -- ações, no caso, da tal semideusa. Deveria haver um bom motivo para a mesma puxá-lo de forma tão inesperada. Andaram no ritmo da garota, até um local aberto. Parecia um daqueles locais antigos de Roma, o Coliseu. Ela o soltara e tirara de sua bolsa, uma espada. Não era uma espada de verdade, no lugar da lâmina havia madeira. Ele começava a entender o motivo daquilo.

— Aqueles novatos, nunca querem aprender do começo. Só querem saber de missões e mais missões... é por isso que tantos morrem em um dia. — reclamava ela, entregando a falsa espada para Meliteu. — Um, pelo menos, precisa treinar... o que acha?

Por que não?, pensara consigo mesmo. Novamente, sua resposta fora anunciada em um único gesto com a cabeça. Então, sem demora alguma, Gauth pegou outra espada, mostrando ao rapaz como deveria segurar a dele. Explicou que, para um novato inexperiente como ele, deveria começar usando as duas mãos no cabo, visto que impulsionaria mais força no inimigo que o fizesse, mesmo deixando-o cansado. Até aquele momento, parecia tudo ok, ele poderia fazê-lo sem dificuldade alguma. Suas mãos seguravam o cabo de madeira firmemente, enquanto ele esperava a próxima ordem da monitora de Hermes. Contudo, ele já havia começado mal, cometendo o primeiro erro de manter a espada apontada para o chão. A loira acertara o braço do mestiço, que não fizera nada mais do que arquear uma sobrancelha, ainda sem expressão alguma em sua face. Ela havia feito um gesto de negação, explicando que em um combate a espada sempre deveria se manter empunhada e o corpo em posição de luta, pois nunca se sabe o que pode acontecer. Leone obedecera sua treinadora, empunhando a espada da melhor maneira possível. Sabia que, quando estivesse carregando uma espada real, não seria tão fácil como estava sendo naquele momento. Uma espada verdadeira pesava muito mais do que uma espada de madeira, pensava ele. Por fim, poderiam prosseguir. Gauth pedira para que o filho de Éolo a atacasse de verdade, mesmo acertando-a, aquilo era o de menos importante. Meliteu assentiu, segurando novamente firme a falsa espada e pensando em um modo de atacá-la. Não tentaria nada inovador, claro, apenas o básico. Não hesitante, ele avançou, deixando sua força em seus dois braços e dando um salto, enquanto a 'arma' tomava o caminho até a filha de Hermes. E a veterana conseguira desviar-se do ataque sem esforço algum, como era filha do deus furtivo, havia ido para o lado em poucos segundos. Leone acompanhou o trajeto de sua espada até que a mesma batesse no chão, ignorando o desvio da semideusa. Outro erro em seu primeiro treino. Gauth acertara a arma que segurava nas costas do baixinho, finalmente tirando uma expressão de dor no rosto do novato.

— Se fosse uma batalha de verdade, você estaria morto! Lembre-se que em uma batalha, a arma não é a única coisa mais importante. Ataque, mas mantenha os olhos no inimigo, ok? Te dará mais vantagem em uma defesa, desvio ou até contra ataque.

Ele levantara, voltando a posicionar-se corretamente, de acordo com o que a jovem havia explicado segundos antes de seu ataque mal sucedido. Ela pedira que continuassem, pois ainda havia muita coisa para ensiná-lo e não gostaria de perder o almoço com seus meio-irmãos e irmãs. A cria do vento assentira, prosseguindo com seus ataques mal sucedidos. Ele tentava de todas as formas. Em seu segundo ataque, jogara os braços na lateral da semideusa, que defendeu com louvor novamente. Em seguida, tentara um ataque frontal que rasgara o vento de baixo para cima, o que a pegou de surpresa, mas nada que a impedisse de desviar daquele ataque também. O quarto, no entanto, fora mais elaborado. Uma finta. O ataque frontal havia surpreendido ela da primeira vez, então, provavelmente, a garota esperava por mais um. Meliteu recuou, sentindo uma mudança nas unhas de suas mãos -- cresciam tanto, que se tornavam legítimas garras, sendo confundidas com as garras de pássaros. Ele novamente a atacara frontalmente, a espada passara poucos centímetros pelo seu rosto e ela com certeza se defendeu, sem problema algum.

E era exatamente o que ele esperava...

Ela, mesmo rápida, não conseguiria defender-se de um ataque contínuo, não se Leone fosse mais rápido. Sua mão livre fora direcionada ao encontro da semideusa, acertando seu ombro de raspão. Mesmo não tendo conhecimento das habilidades mencionadas por seu meio-irmão mentalista, ele tentou algo para testar. Desejou e aconteceu: estava controlando pequenas correntes de ar, que logo desequilibraram a filha de Hermes, fazendo-a cair. Aquilo era o suficiente, um ataque pelo menos havia sido bem sucedido. Gauth levara a mão até seu ombro, observando uma pequena quantidade de sangue saindo do corte. O filho de Éolo já estava em posição de luta novamente, esperando por alguma ordem ou contra ataque, enquanto apontava a espada de madeira contra o rosto de sua treinadora.

— É assim que eu gosto, garoto! — disse, sorrindo. Mas, logo seus pés vingaram a rasteira que antes Leone havia lhe dado e fizeram o baixinho cair, sentindo uma dor atingindo seu ombro. — Mas nunca baixe a guarda antes do inimigo.

Meliteu levantou-se, ignorando a dor, afinal, aquela seria a primeira de muitas outras -- talvez, haveriam dores piores. A monitora de Hermes limpara a sujeira de suas vestimentas, pegando a espada de Leone e guardando com a dela. Sorriu novamente, estava claro cristalino a satisfação dela. Talvez ele fosse o primeiro novato na semana que havia aceitado treinar, isso podia ser um progresso. E para ele também, nunca havia sentido tal adrenalina correndo em seu corpo. Poderiam treinar mais vezes, e foi o que ele sugeriu ao final da fala da colega. Concordaram de treinarem mais vezes, quando possível, pois a semideusa tinha a rotina pesada por ser monitora.

Leone sentiu então seu estômago roncando. Agora, Gauth não era a única que esperava pelo almoço.



Why does it rain, rain, rain down on utopia?

avatar
Filhos de Éolo
$D :
57420

Idade :
19

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treinamento de luta de Leone O. Cresswell

Mensagem por Apolo em Dom 16 Nov 2014 - 7:22


Avaliação


Olha, não notei quase nenhum aspectos negativos, mas acho que o seu treino não merece o máximo de recompensa, todavia está no caminho certo, semideus. Continue assim e terá um ótimo progresso. Sinto que será forte um dia. Que a força esteja com você.

Recompensas:
+60 EXP
- 50 HP / - 20 EP
Esperanto Att.

avatar
Deuses
$D :
10022380

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treinamento de luta de Leone O. Cresswell

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum